Flá @ 21:21

Qua, 21/01/09

 

           Refina-me os sentidos. Muda a música. Diminui o som. Prova o beijo que te dou pela manhã ao entrar no carro, pousa a mão no meu joelho, bate-lhe, levemente, ao som da música, enquanto comentamos as noticias que vêm na capa do jornal que já trago comigo. Estaciona na encosta do jardim onde não pagas estacionamento. Dá-me um último beijo antes de sairmos.
Escolhe o andar enquanto aproveito o espelho para compor o cabelo. Apanha-me distraída. Morde-me o ombro. Volta-me para ti, encosta-me à parede espelhada do elevador, beija-me enquanto metes a mão dentro da minha camisola e me arranhas as costas. Provoca-me a respiração. Porta-te bem, vamos sair.
Já não há redenção possível. Subimos a rua com passos apressados, pelo caminho cruzamo-nos com a senhora da barba por fazer, como de costume, na nossa cumplicidade, olhamo-nos e sorrimos. Fechamos a porta sem estrondo. Na entrada largamos tudo o que nos acompanhava. De mão dada e sem percebermos quem puxa quem vamos até ao quarto.
Espero que tenhas muita roupa vestida, para que nos possamos ferir, calmamente, por cada peça de roupa que salta fora. Vou resmungar para me encostares à parede. Já sem roupa, posso sentir as tuas mãos percorrerem-me o corpo de forma firme e exacta. Consigo sentir a dormência dos teus dedos.
Vemos, então, a vergonha dissolver-se, como um comprimido efervescente que dá ao corpo o sossego que ele implora… permitimos aos nossos corpos que deixem os lençóis amarfanhados. Vais sentir as minhas unhas vermelhas passearem, levemente, nas tuas costas fazendo-te contorcer. Sem que te apercebas vendo-te os olhos. Visto a tua camisa, as minhas meias de ligas. Só as tuas mãos me vêem. Travamos uma lutazinha. Queres mandar a venda fora. Não posso permitir. Os meus lábios percorrem todo o teu corpo obrigando-te a soltar ligeiros gemidos, não te deixando outra hipótese respiratória que não ofegares. Chamas-me com uma voz sumida...é altura de mandar a venda fora.
Que fazes do meu corpo assim despido? Que fazes das sardas e do cabelo solto que chega ao meio das costas? Que fazes do meu cheiro doce e da minha presença física despida? Olhamo-nos nos olhos. Assentimos o momento seguinte. Depois, quando os nossos corpos nus não aguentarem mais ferir-se de prazer vamos adormecer enroscados e abraçadinhos. Refinas-me os sentidos.



Il Conte @ 22:36

Qua, 21/01/09

 

Ufa, que "stronza" !
Eu queria somente viver calminho e sossegado, pensando no muito trabalho e nas varias semanas de espera antes que chegue a Portuguesa numero 3, mas depois, ao ler estas suas palavras fiquei a sonhar coma Portuguesa numero 2, que não é tão "boa moÇa" como a Portuguesa numero 3, se calhar não é assim tão bonita como a 3, acho que a 2 é um bocadinho menos, mas é mais felina, mais sensual e a mim, apesar de ser um bocadinho menos linda consegue seduzir-me muito mais, deixa-me maluco. Quem me dera viver o que a Princesa contou com a Portuguesa numero 2....
ou até com a propria Princesa, mas para isso teria que ser uns 15- 20 aninhos mais jovem!!!
Mais uma vez repito-lhe que está a desperdiÇar um dom possuido: a Princesa parece nascida para escrever. Estude, faça o que lhe apetecer na vida, mas não pare de escrever, escreve mesmo bem, é um prazer ler as suas palavras.
Tudo de bom para si. Beijinhos


Flá @ 22:53

Qua, 21/01/09

 

O Conde tenta colocar a razão à frente da emoção, sempre....creio que nunca se libertará da sua portuguesa número 2, ela cativa-o de uma forma que transcende tudo o humanamente explicável. Embora ame a numero 3, e, reconheça nela tudo o que sempre idealizou para si e, para ter a seu lado no percurso do envelhecimento.

Uma mulher pode ser muito bonita e boa pessoa e não ter um pingo de sensualidade no corpo...o oposto parece-me bastante difícil, ainda assim, mulheres mais bonitas às vezes podem pecar por falta de sensualidade, não sabem exaltar a própria beleza.

As mulheres são fabulosas. Adoro ser mulher.

Obrigada por ter vindo a acompanhar sempre a minha escrita, o meu crescimento enquanto amante da escrita, obrigada por me estimular a continuar...obrigada por toda a sua simpatia.
Tudo de bom, Conde.

Beijinho

Afonso Castelo Branco @ 23:54

Qua, 21/01/09

 

Oh Il Conte, então mas ainda não percebeu qe a Princesa já tem com quem fazer o que ela escreveu? --; Mais atenção, é o que se pede!

Janeiro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
12
13
14
15
16
17

18
19
22
23
24

25
26
27
28
29
30
31


favorito

Uncensored

Pesquisar