Flá @ 22:37

Qui, 14/05/09

 

Vim até aqui, hoje, para te contar todos os meus segredos. Subi, propositadamente, todos os degraus, que me roubam o fôlego, para te falar de mim. Subi-os sem que me estivesses a empurrar nas costas. Hoje a conversa sou eu. Não politica. Futebol. Religião. Ou economia. Hoje quero egoistamente falar de mim. Só de mim.
Sou uma bonequinha muito frágil e cheia de medos.
Lembro-me, indistintamente, do que era antes de te conhecer. Uma pessoa diferente. Cinzenta. Triste. Com sonhos vazios. Queria viver sozinha. Nada de animais. Ou vizinhas a pedir sal ou ovos. Queria viver comigo e para mim. Procurar sorrisos assim. Desta altura mantenho um segredo. Sempre que vejo uma ambulância penso “espero que Deus salve e guarde todos os que vão ali dentro”. É verdade. Penso-o sempre. Sem excepção. Acho que já o faço de forma instintiva. Acho que é do hábito. Tenho este segredo há anos. És o primeiro a saber dele.
Há dias fiz uma coisa que te deixou triste. Eu sei. Ler textos antigos deixa-te triste. Com medo. Talvez. Não sei. Desculpa-me, meu Amor. Não o fiz com o intuito de recordar sentimentos. Lugares. Pessoas. Queria ver o que tinha mudado na forma como me dou com as palavras. Não foi difícil. Antes escrevia triste. Contigo aprendi a escrever feliz. Descobri que é possível escrever-se feliz. Que existe uma escrita feliz. É muito difícil escrever sobre a felicidade. Sinto-me esgotada. Parece que há tão pouco a dizer. Mas não é verdade. Eu é que não consigo. Não sei. Desculpa-me, meu Amor. Merecias que o conseguisse e soubesse por ti. Para ti.
Temos uma história perfeita. Uma relação perfeita. Não te conheço, ainda, defeitos. Nunca discutimos. Nunca nos zangamos. Nada. Não há nada a apontar. Isto assusta-me. Tenho medo que te fartes do cheiro que deixo na almofada. Ou que te habitues tanto a ele que deixes de o reparar. Que te fartes da nossa felicidade constante. Que ela se torne chata para ti. Aborrecida. Repetitiva.
Vou contar-te um último segredo…o meu novo sonho é casar, e, ter um menino, contigo. Uma casa no campo com um alpendre. Um cão chamado Confúcio. E fazer-te salame de chocolate todas as semanas.
Sou uma bonequinha sem segredos para ti.


Afonso Castelo Branco @ 22:47

Qui, 14/05/09

 

Meu Amor,

A felicidade constante que me proporcionas não é de todo como a água, suave a inicio mas que com o tempo desgasta tudo à sua volta..Não, minha qerida, o sorriso qe despertas em mim todos os dias, a forma como adormeço imaginando-te envolvida pelos meus braços, os teus beijos demorados, o teu Amor, o teu riso, tudo o qe me dás, é como uma brisa num dia quente que me beija suavemente. Já não sei viver sem ela. E tudo farei para que nunca te canses de me tocar dessa forma..

És tudo.

Amar-te-ei para sempre, minha Bonequinha..


Flá @ 23:08

Qui, 14/05/09

 

Não me canso de lembrar que nos apaixonamos no dia em que nos conhecemos. Quase que choro só de pensar na nossa história. Perfeita. Sem mácula.

Um dia vou conseguir escrever a nossa história. Vou dedicar-te o livro publicado. Não porquê inventar quando a realidade tão perfeita.


Escrevi este texto de uma forma nua. É um texto tão meu. Tão a minha cara. Desculpa se sou insegura ou rabugenta.

Eu amo-te, sim?

Da para sempre tua,

Princesa Boneca ^^

De
  (moderado)
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Este Blog tem comentários moderados

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres




O dono deste Blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.

Maio 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


favorito

Uncensored

Pesquisar