Flá @ 19:38

Dom, 21/06/09

 

               Hoje, acordo-te com cócegas. Na covinha do braço. Gosto do teu sorriso de menino pequenino. Deixa-me feliz acordar-te assim. Na cama. Na sala de leitura (onde dormes grandes sestas enquanto, a teu lado, eu, estudo). Até no sofá, onde não fico estremunhada. Mas com dores no pescoço e nas costas. Abres sorrateiramente, os olhinhos. Sorris.
 
                Sabes, desconfio, que nos arreliamos pela primeira vez. Não foi grave. Não cheguei a falar-te mal. Ou a levantar a voz. Admitiste o erro. Pediste desculpa. Ficou tudo bem. Consentes que te encha de beijinhos e abracinhos? Não foi mais que uma pequena falta de entendimento. E…uma mania minha. Tenho muitas. Sempre te alertei sobre elas. Desculpa-me, não consigo manda-las fora. Acho que podes ralhar comigo.
 
                Esta é a ressaca do que foi uma zanga? A nossa primeira zanga? É assim? Não há olheiras? Nem olhos vermelhos? O que é feito dos pratos partidos? E das palavras que ainda deviam andar a remoer e a magoar-nos? A queimar-nos as entranhas! Não há nada? Vais continuar a olhar-me assim? Com todo esse encantamento?
                                                                                                                   
                Que devo fazer?
 
                Meto a quarta música do disco? Choro de felicidade e encho-te de beijinhos na boca ou achas que devo começar pelo fim, pelos beijinhos na boca?
 
Diz-me, meu Amor, que raio acontece quando a realidade ultrapassa o sonho? É isto? Somos imensamente felizes? Perfeitos, assim? Para sempre? Intocáveis?


Kitty @ 01:15

Seg, 22/06/09

 

Flavinha, a primeira vez que vim ao teu blog, tinha intenção de ler apenas um post e ir lendo o resto aos pouquinhos.

Não resisti. Li tudo de fio a pavio, desmontei cada frase, saboreei cada palavra.

Há uns dias voltei, na esperança que estivesse actualizado. Não estava. Reli tudo de novo. Amei.

Brincas com as palavras com uma facilidade incrível. Tens o dom de pintar a escrever, de convenceres o leitor que vê uma tela, de lhe despertares cada sentido.

Mais que isso, deixas passar uma sensibilidade e uma ternura encantadoras.

Resta-me dar-te os meus sinceros parabéns e ter a ousadia de te pedir que não deixes de actualizar o blog. Admiro muito a tua escrita! Tens imenso talento.


Flá @ 23:15

Qua, 24/06/09

 

Olá Kitty ,

Sê, então, muito bem vinda ao cantinho onde se pintam quadros com palavras.

Devo dizer-te, que o teu comentário foi dos que mais me tocou. De todos os que já recebi. Acredita, já recebi muitos. (São já dois anos a recebe-los.)

Não deixarei de actualizar o blog. Não te preocupes. Não deixes também tu de o visitar. É por pessoas como tu que nunca perco o estimulo de o actualizar. Muito obrigada.

É uma honra ter recebido um comentário como o que fizeste. Nem sei se sou merecedora de tais palavras. Ainda assim, tenho de tas agradecer, afinal... ofereceste-mas. (Fiquei a achar-me merecedora do Nobel com o teu comentário.)

Muito obrigada.

beijinho

Junho 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

22
23
25
26
27

28
29
30


favorito

Uncensored

Pesquisar